17 de fevereiro de 2012

CASO ELOÁ: Lindemberg é condenado a mais de 98 anos de prisão

Caso Eloá: Lindemberg Alves é condenado à pena de 98 anos
SANTO ANDRÉ, SP - A Justiça condenou Lindemberg Alves Fernandes pelo sequestro e assassinato de Eloá Pimentel, sua ex-namorada. Em outubro de 2008, ele  manteve a vítima por mais de 100 horas presa em seu apartamento. Também foi mantida refém a amiga de Eloá, Nayara Rodrigues da Silva.
Com o somatório das penas, Lindemberg foi condenado à pena máxima em todos os crimes cometidos, pegando 98 anos e dez meses de prisão. A juíza considerou que ele teve a intenção de matar Eloá, sendo condenado por homícidio qualificado por motivo torpe. Além disso, ele foi punido em crimes como cárcere privado, lesão corporal (contra Nayara e o sargento da PM Atos Valeriano, que haviam sido baleados) e disparo de arma de fogo. No entanto, pela legislação penal brasileira, Lindemberg só pode cumprir no máximo 30 anos.
Durante a leitura da sentença, a juíza Milena Dias afirmou que Lindemberg agiu com frieza. Ela ainda disse que tudo foi feito premeditadamente, em razão de "orgulho e egoísmo".
Antes da leitura da sentença, a advogada de Lindemberg, Ana Lúcia Assad, pediu que Lindemberg tivesse as penas amenizadas. Ele afirmou que o cliente deveria ser condenado por homicídio culposo (sem a intenção de matar), lesão corporal culposa contra Nayara e ser absolvido da acusão de cárcere privado contra os outros amigos de Eloá.
O julgamento foi realizado em quatro dias, no Fórum de Santo André, na Grande São Paulo. O júri era formado por seis homens e uma mulher.
Foram ouvidas 13 testemunhas durante o julgamento. Entre essas pessoas, estão policiais, amigos e parentes de Eloá. O momento mais aguardado foi quando Lindemberg finalmente falou sobre o crime, pois ele passou três anos sem tocar no assunto.
Nesse momento, Lindemberg confessou que havia atirado em Eloá, mas não confirmou se havia ferido Nayara. Ele também disse que se assustou quando a polícia invadiu o local. Ainda, Lindemberg chegou a pedir perdão à mãe de Eloá, Ana Cristina Pimentel, afirmando que entendia o sofrimento dela.


Fonte: O Reporte
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial