Seleção Brasileira: A hora da verdade para Mano Menezes


A hora da verdade finalmente chegou para Mano Menezes. Contratado para montar uma grande Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de 2014, o treinador sobreviveu ao fiasco na Copa América da Argentina, no ano passado, mas sabe que dificilmente sobreviverá a um fracasso nos Jogos Olímpicos de Londres. Se vencer o torneio, receberá os louros por ter conseguido levar o País a um título inédito. Se perder, a conta deverá ser paga na forma de demissão. Para Mano e sua turma, é muito importante começar o torneio com uma vitória sobre o Egito, em Cardiff, no País de Gales, hoje, às 15h45 (horário de Brasília).
Nenhum outro time disputará o torneio olímpico sob tanta pressão quanto o Brasil. Nem a Espanha, que tem ganho um troféu atrás do outro, ou a Grã Bretanha, a dona da casa. Para essas seleções, deixar de ganhar o título será algo desagradável, não mais do que isso. Para a Seleção, no entanto, o cenário é bem diferente. É medalha de ouro no peito ou crise.
Mano Menezes é um homem esperto e sabe bem no que está se metendo. E para não aumentar ainda mais a temperatura do caldeirão em que mergulhou, ele trata em suas declarações públicas de minimizar a pressão pela conquista do título olímpico. “Tradicionalmente o Brasil é sempre o favorito, mas já ganhamos e já perdemos como favoritos. Na fase de grupos, nosso objetivo é ir às quartas de final, não se pode fazer mais do que isso. Se formos bem, vamos tentar alcançar mais”, disse Mano em sua última entrevista antes da estreia. “Penso que a cobrança é proporcional a quem ocupa este cargo. Não tenho e nunca tive ilusões quanto a isso. É preciso conhecer as responsabilidades, cobranças e saber conviver com elas. E não tenho do que reclamar”.
Do lado adversário, se há uma coisa que não falta é ambição. Os egípcios colocaram na cabeça que não podem perder na estreia nos Jogos Olímpicos, e estão convencidos de que não será tão complicado assim roubar pelo menos um ponto da equipe de Neymar. Para eles, o empate por 1x1 entre os dois países no Mundial Sub-20 do ano passado (por coincidência também na primeira rodada) serve como inspiração. “É preciso dizer que evitar a derrota não será uma missão difícil”, falou o treinador Tareq Al-Said.
Outras sete partidas serão disputadas hoje: Honduras x Marrocos (8h), México x Coreia do Sul (10h30), Espanha x Japão (10h45), Emirados Árabes x Uruguai (às 13h), Gabão x Suíça (às 13h15), Bielorrússia x Nova Zelândia (15h45) e Grã-Bretanha x Senegal (16h).
Fonte: Folha de Pernambuco
←  Anterior Proxima  → Inicio

Seguidores

Total de visualizações