Ministro diz que 56 cidades do Nordeste estão em 'colapso' hídrico

                                   
O ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, afirmou nesta quarta-feira (1º) que 56 cidades no Nordeste estão em situação de "colapso" no abastecimento de água. Segundo ele, mesmo após as chuvas, a situação dos reservatórios no Nordeste e no Sudeste ainda é crítica.
Occhi participou de uma entrevista coletiva com outros representantes do governo para apresentar os dados sobre a segurança hídrica no país, principalmente nas regiões mais críticas, após o período das chuvas, de outubro a março.
Ao falar sobre o Nordeste, Occhi disse que há racionamento no fornecimento de energia nos municípios em colapso e em, algumas cidades, a população tem serviço de abastecimento de água a cada 15 dias.
Inicialmente, ele havia dito que cerca de 100 cidades estavam em situação de “colapso” hídrico. Questionado sobre os detalhes, o ministro informou que, na realidade, 56 cidades do Nordeste estão nessa situação. No entanto, segundo o ministro, o governo está fazendo um levantamento, e o número pode subir para 105.
“Identificamos 56 cidades que hoje estão em colapso, sendo atendidas pelas prefeituras ou pelos governos estaduais. Nenhuma dessas é atendida pelo governo federal, mas como a situação está se ampliando, o governo federal pediu um levantamento, e nós podemos chegar, dentro de uma avaliação, ao número de 105 cidades que estão ou poderão estar [em colapso]”, afirmou.
Além do ministro, participaram da coletiva a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o presidente da Agência Nacional de Águas, Vicente Andreu, e o diretor do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastre Naturais, Carlos Nobre. Eles apresentaram à imprensa as conclusões de uma reunião que fizeram mais cedo sobre a situação do abastecimento de água no país.
Reservatórios
A ministra do Meio Ambiente chamou a atenção para a necessidade de a população economizar água. "As pessoas têm que ter a consciência de que o fato de ter chovido muito, mesmo entrando no período do inverno, ainda há o desafio de recuperar os reservatórios, porque o que choveu não foi suficiente para recuperar os reservatórios", ponderou Izabella Teixeira.
Ela comentou especificamente sobre o nível do sistema Cantareira, que abastece a Grande São Paulo. Segundo ela, o volume de água retirado do Cantareira está em um terço do que é retirado normalmente. Ao ressaltar as "condições atípicas", ela afirmou que mesmo com as chuvas recentes, a recuperação do sistema será parcial.
Fonte: G1
←  Anterior Proxima  → Inicio

Seguidores

Total de visualizações