PF diz que fraude no INSS no Agreste deixou prejuízo superior a R$ 1 milhão

A Polícia Federal em Pernambuco informou que o grupo suspeito de fraudes na agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de Limoeiro, no Agreste do estado, provocou um prejuízo de mais de R$ 1 milhão. Os dados foram repassados durante a entrevista coletiva que detalhou as ações da organização desbaratada pela Operação Citrus Prev, deflagrada nesta terça-feira (3), em seis cidades do interior pernambucano. [Veja vídeo acima]

A ação foi realizada pela Polícia Federal em parceria com o Ministério do Trabalho e Previdência Social. Ao longo de dois anos, foi desencadeada uma investigação, que resultou na operação desta terça. Os agentes cumpriram um mandado de prisão temporária, 11 mandados de busca e apreensão, sendo três na agência do INSS de Limoeiro, além de 14 mandados de condução coercitiva, quando pessoas são encaminhadas para prestar depoimento.

Além de Limoeiro, foram realizadas diligências em Camutanga, Carpina, Lagoa do Carro, Timbaúba e Paudalho, na Mata Norte. Os suspeitos seguiram para a sede da Polícia Federal, no Centro do Recife.


Polícia Federal; fraudes INSS; Agreste; operação (Foto: Reprodução/TV Globo)Polícia Federal deflagrou operação em seis cidades do interior de Pernambuco e encaminhou suspeitos para a sede, no Centro do Recife (Foto: Reprodução/TV Globo)

A PF informou que estão sendo investigados os crimes de falsidade ideológica, corrupção, organização criminosa e estelionato qualificado. Há indícios de concessão de mais de 40 benefícios do INSS de forma irregular. Entre os envolvidos, estariam dois servidores públicos, afastados, e de um empregado contrado, também punido.

Os benefícios investigados constavam de 31 inquéritos policiais. Houve irregularidades, de acordo com a PF, em concessões de auxílio maternidade, aposentadoria, benefício assistencial e auxílio reclusão.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Seguidores

Total de visualizações